O IMPACTO DO CARNATAL na incidência do Sars-CoV-2 e solicitações de LEITOS em Natal/RN

Teve Impacto sim!

A solução de casos em estudo, junto com a entrada de mais dados no sistema de regulação de leitos no Rio Grande do Norte somente reforça os aspectos que foram levantados no artigo anterior sobre o impacto do CARNATAL na incidência do SARS-CoV-2 no Rio Grande do Norte. Como já mencionado, os dados após o período de latência (15 depois da festa, ou o tempo necessário para se perceber o ciclo da doença) mostram que há um impacto na evolução da doença no Rio Grande do Norte e seguem na contramão das narrativas apresentadas somente um dia após o final da festa.

Na última semana de dezembro, 15 dias após o Carnatal, a média diária de solicitações de leitos UTI-COVID quase dobrou quando comparada com a média do mês de novembro. A média rolante apresenta picos de mais de 30 e valores nominais de dias particulares qeu são ainda maiores. Esta mudança no comportamento estatístico acontece antes do período das festas de Natal e de final de ano.

O aumento da série temporal apresentado pelos dados mostra, claramente, que os aspectos levantados na análise detalhada anterior não somente estavam certos, como são mais graves do que se imaginava. O que pode ser constatado até nos diagramas feitos de forma automática no site do Regula RN.

O IMPACTO DO CARNATAL e pressão de Leitos COVIDO RN e Na Região Metropolitana.

Figura 1: O IMPACTO DO CARNATAL E PRESSÃO DE LEITOS COVID-19 NO RN E NA REGIÃO METROPOLITANA
Dados e Figura completamente copiados do REGULA-RN https://regulacao.saude.rn.gov.br/sala-situacao/sala_publica/

Tentou-se construir uma narrativa positiva mesmo antes do CARNATAL, para que a festa acontecesse sem maiores constatações, quanto depois, quando foi divulgado um relatório apenas 9 dias depois do CARNATAL. Período insuficiente para qualquer tipo de avalição. Além disso, é importante lembrarmos que o relatório não foi uma avaliação oficial do governo, apesar de muitos terem se confundido.

A tendência não é fruto de picos isolados e sim de um aumento consistente que eleva a média móvel para cima. Seja esta média de 3, 4,5 dias ou mais. O mesmo comportamento de piora foi observado na análise da métrica de evolução da taxa de incidência do SARS-Cov-2, (COVID-19) por milhão de habitantes, que estava em queda, e cuja tendência de queda foi invertida no mesmo período apresentado. (Ver referências abaixo e artigo anterior). Um outro aspecto da chegada dos dados pode ser visto quando se analisa a série temporal dividida por regiões. Fica claro tanto nos dados apresentados no Regula RN, quanto nas figuras apresentadas paralelamente neste artigo, que o principal efeito da mudança de comportamento da pandemia no Rio Grande do Norte se deu na região metropolitana de Natal, onde a média móvel subiu em detrimento da média móvel da região Oeste, por exemplo, que avançou praticamente com níveis mínimos.

Figura 2: Gráfico mostrando a tendência quando se olha somente para a reginao metropolitana isoladamentre (verde). Dados e Figura completamente copiados do REGULA-RN https://regulacao.saude.rn.gov.br/sala-situacao/sala_publica/

Percebendo que existe uma confusão sobre o que é uma média, esclareço que ela representa uma parte do crescimento real diário. Apesar disso a própria média apresenta picos. Pode-se escolher qualquer dia entre 27 de dezembro e 2 de janeiro para entender que a mudança na curva de aumente é consistente e segue. Basta olhar para a reta vermelhar desenhada na atual Figura do Regula RN. Mas vamos aos valores da média móvel na figura abaixo. 15 em 25.12.21; dai temos em 35 em 29.12.21; 32 em 31.12.21. O gráfico fala por si.

Figura 2: Gráfico mostrando a tendência. Dados e Figura completamente copiados do REGULA-RN https://regulacao.saude.rn.gov.br/sala-situacao/sala_publica/

Em 2021 o evento Carnatal (carnaval fora de época em Natal/RN) ocorreu no período de 09 a 12 de dezembro de 2021. Anterior as festividade de final de ano. No final de novembro de 2021, os indicadores epidemiológicos apontavam para uma diminuição consistente da pandemia. No caso, a evolução da taxa de incidência do Sars-CoV-2 por milhão de habitantes no estado do RN seguia em queda.

Figura 3: A série histórica das solicitações de Leitos com dados do Regula-RN (mesmos dados da figura anterior). A linha tracejada mostra a queda ao longo do mês de novembro de 2021. Por outro lado, lado, as curvas tracejadas preta e vermelha, mostram os níveis médios de dezembro anterior ao dia 27/12 e na primeira semana de janeiro/22.

Os dados após o período de latência mostram claramente o impacto do Carnatal na evolução da doença no estado do Rio Grande do Norte. Na última semana de dezembro, 15 dias após a festa, a média diária de solicitações de leitos UTI-COVID aumentou consideravelmente e, praticamente, dobrou quando comparada à média do mês de novembro. Como era de se esperar, a região metropolitana tem uma importância capital, como já visto em outros momentos.

É óbvio que a pandemia segue ondas de contágio (quando se compara meses). Porém, na análise detalhada da dinâmica diária e semanal do contágio percebe-se que cada local ou região tem sua pandemia porque são particulares as condições de aglomeração, vacinação, uso de máscara e restrições diversas. As declarações para tentar esconder esse cenário foram apressadas e sem o devido rigor científico. Tal situação desorienta, desinforma e coloca em risco a população.

A farsa é de quem?

Sou físico de formação e astrofísico com mestrado, PhD na França e Pós doutorado nos Estados Unidos (Harvard). Dados é meu negócio desde sempre, ou seja, não sou jornalista. Mas, sei que há uma ética na profissão que norteia a conduta dos bons profissionais. Apesar de vivermos numa época em que é mais importante “lacrar” para cavar uma popularidade duvidosa nas redes sociais, do que exercer o nobre exercício pelo qual alimento imenso respeito, já não espanta mais, infelizmente, assistir as tentativas de linchamento público, na falta de argumentos técnicos.
Já tive meu currículo acadêmico exposto, como se ao invés de orgulho, devesse me envergonhar dos anos dedicados à pesquisa e ensino. E, mais recentemente, fui chamado de “autoritário” por alguém que sequer me procurou para tirar qualquer tipo de dúvida ao longo de toda a pandemia, que já se estende por mais de dois anos, sobre os métodos utilizados nas análises dos dados acerca da covid-19.

A boçalidade no RN, assim como em muitos outros lugares, esperneia quando não consegue calar quem vai contra a corrente. Quando não é em nome de “Deus, pátria e família”, é o argumento do “prejudicar nosso desenvolvimento” que justifica a sobreposição do interesse particular em detrimento do interesse público.

Curioso que o conceito de “desenvolvimento” utilizado por aqui não coincida com os parâmetros de redução das desigualdades sociais, com o andar por calçadas que também permitam deslocamento de cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção, ou caminhar livremente a pé pela cidade sem medo de assalto ou estupro. O “desenvolvimento” por aqui parece ter chegado apenas a alguns poucos que transitam em seus carros do ano e em ambientes artificiais. Enquanto isso, seguimos na luta com “o enorme passado que o Brasil tem pela frente”, como já dizia o grande Millôr Fernandes.

Referências

Carnatal piora índices de contaminação e solicitações de leitos covid-19 no RN, diz pesquisador. https://www.saibamais.jor.br/carnatal-piora-indices-de-contaminacao-e-solicitacoes-de-leitos-covid-19-no-rn-diz-pesquisador/

— Covid-19: sair de casa significa entrar em um jogo de sorte e azar, alerta cientista sobre momento da pandemia no RN. [SAIBA MAIS] https://www.saibamais.jor.br/covid-19-sair-de-casa-significa-entrar-em-um-jogo-de-sorte-e-azar-alerta-cientista-sobre-momento-da-pandemia-no-rn/

É seguro realizar o Carnatal em meio à pandemia de Covid-19? Especialistas respondem Professores da UFRN analisam o cenário epidemiológico para realização do evento, que será realizado em dezembro https://agorarn.com.br/ultimas/e-seguro-realizar-o-carnatal-em-meio-a-pandemia-da-covid-19-especialistas-do-rn-respondem/

Solicitação de leitos para a covid-19 cresce 72% em 30 dias no RN; apesar disso, ocupação permanece baixa. https://www.saibamais.jor.br/solicitacao-de-leitos-para-a-covid-19-cresce-72-em-30-dias-no-rn-apesar-disso-ocupacao-permanece-baixa/

— O IMPACTO DO CARNATAL na incidência do Sars-CoV-2 no RN: https://jd-donascimento.medium.com/o-carnatal-e-covid-19-no-rn-df3efcd68ff7

--

--

--

Professor, Astrofísico, Astrónomo, Cientista, Velejador

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Prof. José-Dias do Nascimento Júnior

Prof. José-Dias do Nascimento Júnior

Professor, Astrofísico, Astrónomo, Cientista, Velejador

More from Medium

Is a flipped classroom a beneficial approach to instruction?

Why Your Upskilling Strategy Should Include an LXP

Mega Trends & Austin Weekends

A Professor, A Student: A Shared Story and New Perspective